Portal da Torcida
Tudo Sobre Futebol e Seu Time

Flamengo: Gabigol leva suspensão por 2 anos por tentativa de manipular exame antidoping

Flamengo: Gabigol leva suspensão por 2 anos por tentativa de manipular exame antidoping. Foto: Reprodução
Flamengo: Gabigol leva suspensão por 2 anos por tentativa de manipular exame antidoping. Foto: Reprodução

Para surpresa de todos, Gabriel Barbosa, mais conhecido como Gabigol, jogador do Flamengo, foi suspenso por dois anos por tentativa de fraude em exame antidoping. O Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJD-AD) concluiu o julgamento nesta segunda-feira (26), após uma sessão que durou pouco mais de duas horas.

A suspensão começará a contar a partir da coleta realizada em 8 de abril de 2023 e se estenderá até 2025. No entanto, cabe recurso à Corte Arbitral do Esporte (CAS), e Gabigol participou do julgamento nesta segunda-feira.

Gabigol é punido por tentativa de fraude em antidoping

Por previsão do regulamento antidopagem, a suspensão de Gabigol teve início em 8 de abril de 2023, data em que foi realizada a coleta de exames no CT do Flamengo. Mesmo que o jogador estivesse em atividade no último ano, a punição só tem validade até abril de 2025. É importante ressaltar que cabe recurso à Corte Arbitral do Esporte (CAS). O julgamento foi apertado, com o placar de 5 a 4 a favor da punição do atacante.

Com a suspensão de dois anos, Gabigol poderá voltar a jogar apenas em abril de 2025. No entanto, vale destacar que a pena poderia ter chegado a quatro anos. A vice-presidente do Tribunal de Justiça Antidopagem, Selma Melo, explicou que o código estabelece que, em casos de atrasos substanciais no procedimento de gestão de resultados e comprovação de circunstâncias excepcionais, a ABCD (Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem) ou o TJD-AD (Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem), conforme o caso, pode estabelecer o início do período de suspensão na data de coleta da amostra.

Entenda o que aconteceu

Gabigol foi acusado de tentativa de fraude no antidoping por ter dificultado a realização do exame e por não ter seguido as instruções adequadas. Segundo os responsáveis pelo exame, o jogador não procurou a equipe de coleta antes do treino, ignorou-os depois da atividade, foi almoçar sem se importar com o procedimento, tratou a equipe com desrespeito, pegou o vaso coletor sem avisar ninguém, ficou irritado quando um oficial o acompanhou ao banheiro para a coleta e entregou o vaso aberto, contrariando as orientações.

Essas atitudes foram consideradas como “fraude ou tentativa de fraude de qualquer parte do processo de controle”, de acordo com o artigo 122 do Código Brasileiro Antidopagem. Em caso de condenação, a punição prevista é de até quatro anos de suspensão. No entanto, Gabigol recebeu uma pena reduzida para dois anos por comprovação de circunstâncias excepcionais.

Gabigol foi representado pela equipe do advogado Bichara Neto, que já defendeu o jogador Paolo Guerrero em um caso de doping em 2017. O vice-presidente geral e jurídico do Flamengo, Rodrigo Dunshee, também participou da sessão em defesa do atacante. Agora, Gabigol vai recorrer à Corte Arbitral do Esporte, na Suíça, um tribunal da Fifa, com o auxílio do clube.

A denúncia contra Gabigol foi feita no final de dezembro, e a defesa do jogador foi enviada dentro do prazo, contando com imagens das câmeras de segurança do Ninho do Urubu para sustentar a versão do atleta. O processo de julgamento teve sua primeira sessão realizada de forma online no dia 20 de março, com o depoimento de Gabigol por videoconferência, assim como de outras testemunhas. A sessão foi encerrada e retomada nesta segunda-feira, também de forma remota.

O Flamengo emitiu uma nota oficial afirmando que recebeu com surpresa a decisão de suspensão de Gabigol e prometeu ajudar no recurso. O clube entende que não houve fraude ou tentativa de fraude que justifique a punição aplicada. Vale ressaltar que o Flamengo considera a pena injusta e está comprometido em auxiliar o jogador durante o processo de recurso.

A suspensão de Gabigol traz consequências para o time, uma vez que o jogador não poderá treinar no CT e estará fora das finais. O Flamengo terá que se ajustar à ausência do atacante, buscando alternativas para manter o desempenho e conquistar seus objetivos.